sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Controla sim pelo o que gasta

Sua sorte perversa
Coexiste com o azar perfeito,
A sorte,
O medo,
Manjares que só o divino nos dá?
Nos nossos passos
Traços de derrotas,
Desnorteados nas rotas,
Não tem mais nada que vai pra lá,
Lá na casa do carai,
Onde queremos nossos
Pedaços de volta,
Onde o escambo é com dinheiro,
Onde os desejos podem existir,
No contrato que diz
Para você ser feliz,
Basta criar a vontade,
Comprometer no gasto,
Ofertas de um ambiente vasto,
Nosso mundinho nefasto,
Sem “o faz me rir”,
Sem “o faz acontecer”,
Sem o “mata-fome”,
Sem esse diabo que Cê consome,
Sem uma cédula de cem 
Que te coloca de quatro
E te come!
Dinheiro tinha nome!
Já teve valor e nome!
Hoje em dia não tem mais não.

Nenhum comentário: