segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Deu certo o que queria? Acho bão demais da conta.



Aqui na nossa face
Segredos mal informados,
Somos ocultos até algumas horas
Da madrugada,
Uma noite encorpada,
Na regra de viver agora
(...) 
Felizes amaldiçoados!
Quando você não comemora
E ele acha mó bom,
Mó desgraçado bom,
Não pede dinheiro,
Sabe como funciona
A boa linha de passe...
(...).
Entrou mais gente aqui,
Ele sentou pra subir,
Não foi possível repelir,
Foi possível aproximar,
Deixar tudo queimar,
Conscientizar que todos vão,
Ele vai e
Você não ficará de fora,
Um prontuário,
Várias chances infelizmente
Possíveis de ocorrer,
Uma noite a mercê
De você,
Dele,
E dela,
Um noite na viela,
Uma noite boa pra acontecer,
Naquilo que queria escolher,
No cinza do aquecer
O maior jeito de se mover!
Uma noite clara e amarela,
De uma noite que acaba no IML local,
Noite que não se repete,
Noite que não se repara,
Uma noite cara,
Uma pessoa que derrete,
Gente que morre sozinha,
Mas não divide químico com ninguém,
Foi amém sem passar mal!
(...)
Têm?
Nem tem bem o ter e
Fez ter o que nem bem tem,
Nem tem sem,
Nem tem bem,
Nem vem,
Tá sem,
Mais um amém?
Ninguém julgue nada!
Assim bem ele escolheu,
Ele não adormeceu,
Ele parou,
Ele comprou,
Ele descobriu,
Ele morreu,
Procedeu:
Do jeito maneira que quis!
Como sempre quis,
Como sempre falava feliz,
Que teria uma Miss,
De cachaça um chafariz,
E pelo fato primordial motriz:
Morrer de primeira classe!

Nenhum comentário: