sábado, 18 de fevereiro de 2017

Junto dos meus recados de quando eu não valo nada

Vem ouvir uma música comigo...
Deixa eu te chupar...
(...).
É muito pouco no bolso;
É esse caso carente;
É seu amante que lhe estripa;
É seu pandemônio
Em forma de marido;
É seu estribo;
É um monte de palha;
É o amigo que malha;
É mais de um...
(...).
É com um que não falha,
É com nada que valha,
É muito pouco tampando,
É sem hope e sem roupa e se Masturbando,
Vídeo fazendo,
Vídeo baixando,
É quando você
Tá se mostrando,
Tá se rebolando!
Com a boca buscando!
E mais de um se aproximando!
Querendo inteiramente lhe provar,
Com o name que cê quizé!
Com o Nélio Luciano André,
Colocando fé que você bota fé
Que já é e qui você qué?
Com vários pênis e com orifícios
Penetrados
Ao mesmo e simultâneo tempo,
Rolando aquele momento
Onde todos vão gozar,
Mas te vi sem roupa
Quando meu cheiro de fumaça
Tava te inflamando,
Quando você tava me ensinando
Amar seu corpo sem roupa,
Vagina, boca e popa,
E todo mundo vai provar
O produto do mais safado movimento,
Naquele dia mesmo que você
Mostrou como saía
Sua roupa difícil,
Com vários convites,
Com uma poeta safada 
Que mora no planeta,
Uma médica,
Uma advogada,
Uma cabeleireira que eu convidaria,
Com a amiga dela que convidaria,
Com a outra amiga
E amigo que convidaria
Didaticamente falando,
Com muita gente rolando,
A suruba rolando,
Muito mais do que ser homem,
Muito mais além
Do que ser mulher,
É fazer o que quiser,
Sem nunca precisar contar,
Aquela suruba sem mostrar,
Aquela que você
Pode aparecer quando quiser,
Pode dar o que quiser de você,
Dá e come sem esclarecer,
Gozam amigos meus.
(...).
Mostrei pra você uma música boa,
Mostrei uma música ruim,
Nós fumamos no jardim,
Você mostrou onde eu tinha
Que chupar em você,
Mostrou onde iria chupar em mim,
E te mostrei um jeito 
De esclarecer as coisas
Sem precisar de Deus. 

Nenhum comentário: